26 de September de 2017
Carmela Grune

Programa Jornada fala sobre discriminação a homossexuais e transexuais no ambiente de trabalho

Foto: pixabay

 

A Constituição Federal é clara: todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. É o que diz o princípio da isonomia. Mas a norma nem sempre se reflete na realidade. Gays, lésbicas e transexuais ainda são vítimas de preconceito e muitas vezes acabam perdendo a chance de mostrar as próprias habilidades na profissão que escolheram seguir. Na reportagem especial do Jornada desta semana, vamos mostrar histórias de pessoas que foram discriminadas pela orientação sexual e também os relatos de quem deu a volta por cima.

No Mato Grosso, um sistema de sustentação oral online permite que advogados trabalhistas falem diretamente com os desembargadores do TRT durante as sessões de julgamento do tribunal. No quadro Tá Explicado, tudo sobre os vestiários. Nem toda empresa é obrigada a fornecer esse local para a troca de roupa dos empregados. E no Trabalha Brasil, a história de um músico que transformou as tardes do Rio Paraíba, em João Pessoa: ele atrai moradores e turistas para a região durante o pôr do sol, que acontece ao som do Bolero de Ravel, uma das músicas mais populares do repertório clássico.

O Jornada é exibido pela TV Justiça às segundas-feiras, às 19h30, com reapresentações às terças-feiras, às 7h, quartas-feiras, às 19h30, quintas-feiras, às 7h e sábados e domingos, às 6h. Todas as edições também podem ser assistidas pelo canal do TST no Youtube: www.youtube.com/tst.

Veja a íntegra da última edição:

 

Fonte: CRTV/Secom/TST

 

 

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Sobre o autor

Deixe seu comentário

*