25 de September de 2017
Carmela Grune

Livro Samba no pé & Direito na cabeça aproxima Direito e cotidiano

A Lei Maria da Penha, a “mais-valia”, a pobreza e a violência são alguns dos temas do livro Samba no pé & Direito na cabeça, que reúne 14 artigos de advogados e juristas sob a coordenação da advogada e jornalista Carmela Grune. A obra é resultado do evento homônimo que, desde 2011, busca “sensibilizar a população para quebrar o paradigma da cultura jurídica distante do cotidiano, demonstrando o poder da cultura popular como agente reativo da identidade democrática brasileira”.

A cada canção interpretada há um intervalo para interação, quando os palestrantes convidados debatem com o público a letra sob a ótica científica, numa linguagem acessível
Carmela Grune
organizadora do livro
1 foto forum
“Os músicos executam os sambas e a cada canção interpretada há um intervalo de 20 minutos para sessões de interação, quando os palestrantes convidados debatem com o público a letra sob a ótica científica, numa linguagem acessível”, explica Carmela.
Para ela, é possível unir a apreensão do conhecimento jurídico e a música. “Quando o compositor consegue transmitir nos versos que ‘os direitos humanos são iguais, mas existem as classes sociais’ – refrão do sambaA Humanidade, da Velha Guarda do Império Serrano -, a frase em si já permite a reflexão sobre desigualdade”, exemplifica.
De maneira geral, o projeto e o livro criticam a “cultura da judicialização da vida”, diz. “As pessoas buscam no Judiciário uma solução que, muitas vezes, poderia ser encontrada se desenvolvêssemos mais políticas públicas para o fomento da cultura jurídica popular. Explicar para a população que o Judiciário é uma das formas, mas não única, de acesso à justiça. Portanto, valorizo muito a elaboração de práticas, para sair do discurso”, completa Carmela.
Versão online da Tribuna do Advogado, maio/2013

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Sobre o autor

Deixe seu comentário

*